Quais são os tipos de anestesias?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Quais são os tipos de anestesia

Existem basicamente três tipos de anestesia: local, regional e geral.

ANESTESIA REGIONAL

A anestesia regional é um procedimento anestésico que visa anestesiar apenas a porção do corpo a ser operada, e o paciente pode permanecer acordado ou sedado. Os tipos de anestesia regional mais utilizados são:

– Anestesia raquidiana (ou raquianestesia).

– Anestesia peridural ou epidural.

– Bloqueio de nervos periféricos.

Anestesia raquidiana

Para realizar a anestesia raquidiana, uma agulha de pequeno calibre é inserida nas costas, de modo a atingir o espaço subaracnoide, dentro da coluna espinhal. Em seguida, um anestésico local é injetado dentro do líquido cefalorraquidiano (líquor). Para que a anestesia seja eficiente, é necessária somente uma pequena quantidade de anestésico local, sendo que esta é uma das grandes vantagens da anestesia raquidiana quando comparada com a peridural, pois, deste modo, o risco de uma intoxicação por anestésicos locais é muito pequeno.

Neste tipo de anestesia, perde-se a sensibilidade dos membros inferiores e da zona inferior do abdome. Os membros inferiores ficam dormentes e pesados, perdendo a mobilidade.

Este efeito é temporário e desaparece ao fim de duas a três horas, recuperando totalmente a sensibilidade e a mobilidade. A raquianestesia é muito usada para procedimentos ortopédicos de membros inferiores e para cesarianas.

Anestesia peridural

A anestesia epidural (peridural) está indicada na analgesia para o parto normal e nas cirurgias que envolvem tórax e abdome. Na anestesia peridural, os anestésicos são injetados pela agulha e pode ser inserido um fino cateter, que permanecerá no espaço peridural. É através desse cateter que os anestésicos serão administrados, tanto no período perioperatório como no período pós-operatório, para controle da dor pós-operatória nas cirurgias maiores e controle da dor durante o trabalho de parto.

A anestesia peridural é muito semelhante à raquidiana, porém há algumas diferenças: o local onde é administrado o anestésico local, o tipo de agulha e o volume de anestésicos utilizados:

1. Na anestesia peridural o anestésico é injetado na região peridural, que fica ao redor do canal espinhal, e não dentro do espaço subaracnoide, como no caso da raquianestesia.
2. Na anestesia peridural, o anestésico é injetado através da agulha e pode ser implantado um cateter, que permanecerá no espaço peridural.
3. A anestesia peridural pode continuar a ser administrada no pós-operatório para controle da dor nas primeiras horas após a cirurgia. Basta manter a infusão de analgésicos pelo cateter.
4. A quantidade de anestésicos administrados é bem menor na raquidiana.

Em situações normais, não há contato direto nem da agulha nem do cateter com o líquor.

Anestesia combinada raqui-peridural: combina os dois tipos anteriores, raquidiana e peridural.

Bloqueios de nervos periféricos: o anestésico local é administrado ao redor dos nervos responsáveis pela sensibilidade e pelo movimento do membro onde vai ser realizada a cirurgia. Por exemplo: para uma cirurgia da mão, é possível anestesiar apenas o braço, administrando anestésico local ao nível da axila, associado a sedação para melhor conforto do paciente.

Raquianestesia dá dor de cabeça?

Sim, pode acontecer. Embora a complicação mais comum das anestesias raquidianas e peridurais seja a dor de cabeça, este evento diminuiu muito sua ocorrência com o avanço das técnicas anestésicas.

A dor de cabeça ocorre quando há saída de líquor pelo furo feito pela agulha no canal espinhal. Essa perda de líquido provoca uma redução da pressão do líquor ao redor de todo o sistema nervoso central, sendo esta a causa da dor de cabeça.

Hoje em dia, as agulhas são mais finas, o que diminuiu consideravelmente a chance de dor de cabeça após o procedimento.

O tratamento se dá basicamente com repouso e ingestão de líquidos, e a dor de cabeça tende a se resolver em três ou quatro dias.

Fonte:

https://www.mdsaude.com/2018/07/cefaleia-pos-raqui.html

https://www.lusiadas.pt/pt/unidades/HospitalLisboa/servicosclinicos/Paginas/tiposanestesia.aspx

https://www.infoescola.com/medicina/raquianestesia/