O que é hipertermia maligna?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
O que é hipertermia maligna

A hipertermia maligna é uma síndrome caracterizada por uma resposta hipermetabólica – aumento exagerado das funções do corpo – após administração de alguns tipos de medicações utilizadas na anestesia geral. Essa resposta hipermetabólica leva a aumento da temperatura corporal e danos a todo o organismo. Além da forma clássica – hipertermia maligna gerada por medicações –, existem outras formas mais raras da síndrome, desencadeadas por exercícios vigorosos e por calor.

A hipertermia maligna é uma condição hereditária com padrão autossômico dominante, ou seja: passa dos pais para os filhos. Contudo, nem todo portador da síndrome vai, necessariamente, manifestar os sintomas após exposição aos anestésicos. É uma síndrome rara que ocorre em uma a cada 50.000 anestesias e tem uma mortalidade de 1,4%. É muito importante informar o médico anestesiologista se houver casos suspeitos de hipertermia maligna na família.

Como posso saber se tenho hipertermia maligna?

O diagnóstico geralmente é feito após algum caso desencadeado durante a anestesia. Existem testes laboratoriais e genéticos que podem confirmar o diagnóstico da síndrome e apontar pessoas suscetíveis. Desta forma, os familiares de alguém que apresentou um quadro compatível com hipertermia maligna são considerados em risco de apresentar a síndrome, por isso é muito importante informar o médico anestesiologista se houver casos suspeitos na família.

Sendo de uma família suscetível, posso receber anestesia?

Sim, uma vez reconhecido o paciente com aumento da chance de ser portador da síndrome, as medicações que podem causar como resposta a hipertermia maligna são evitadas, possibilitando receber anestesia geral sem problemas. Além disso, a anestesia regional e a sedação venosa não são desencadeadoras da síndrome. É muito importante informar o médico anestesiologista se houver casos suspeitos de hipertermia maligna na família.

Mais informações:

http://cedhima.sites.unifesp.br/site/index.php

www.icb.ufrj.br/Extensao/Servicos/Centro-de-Hipertemia-Maligna-131

http://www.mhaus.orgsite em inglês

Versão Dez/2018

A Medicina está em constante evolução e as condutas mais aceitas podem ser alteradas, as informações desta página foram adaptadas de acordo com as seguintes referências bibliográficas:

1. Malignant hyperthermia: a review. Rosenberg H, Pollock N, Schiemann A, Bulger T, Stowell K. Orphanet J Rare Dis. 2015;10:93: 1-192. 2. Miller’s anesthesia (8th ed.). Philadelphia, PA: Churchill Livingstone/Elsevier.