(47) 3433-1666
(47) 99772 5095

Cigarro e anestesia: evite essa combinação

Cigarro e anestesia: evite essa combinação - SAJ

Não é surpresa que o tabagismo gere malefícios para saúde. Além de causar dependência, ele contribui para o desenvolvimento de doenças infecciosas, cardíacas, venosas, cânceres e doenças pulmonares. Há estudos que indicam uma elevação de 70% nas taxas de doenças pulmonares e 300% de cânceres pelo uso do tabaco. Mas você sabia que este vício pode prejudicar um indivíduo que vai ser submetido a uma cirurgia? Continue lendo este artigo e saiba mais da relação negativa que existe entre cigarro e anestesia.

Tabagismo e cirurgias

O cigarro é um fator de risco importante para várias doenças pulmonares e cardiovasculares. Ele também pode chegar a dificultar da cicatrização da ferida cirúrgica, pela redução do fluxo sanguíneo. Para a redução desta complicação sugere-se que o uso do cigarro seja interrompido por pelo menos 3- 4 semanas antes do procedimento.

Relação cigarro e anestesia?

A nicotina e as substâncias tóxicas alteram funcionamento do sistema respiratório, havendo uma maior chance de redução das taxas de oxigênio do sangue e acúmulo de substâncias tóxicas no organismo.

Pesquisas relatam números maiores de pessoas que estão sujeitas ao fechamento dos brônquios pulmonares e a complicações respiratórias mais graves. Para a redução desta complicação orienta-se a interrupção do tabagismo por pelo menos 4 semanas antes do procedimento.

Quando você deve parar de fumar?

Então, aconselhamos que você busque reduzir os cigarros do dia a dia e que, consequentemente, vá abolindo o tabagismo da sua vida. No entanto, sabemos o quanto é difícil deixar um hábito que, para você, traz prazer, apesar de todos os riscos.

No entanto, antes de uma cirurgia que exista a relação cigarro e anestesia, é fundamental que o tabaco seja suspenso. Isso deve ser feito, pelo menos, quatro semanas antes da operação, como já dissemos anteriormente.

Esse tempo é importante para que o organismo possa se reorganizar e produzir as substâncias que eram pouco produzidas ou inibidas pelo fumo. O quão mais precoce a interrupção, maiores são os benefícios.

Se eu não interromper com o tempo indicado?

Infelizmente, essa acaba sendo uma realidade bastante contraindicada pelos anestesistas. Entretanto, em cirurgias que haja interação entre cigarro e anestesia, mesmo que você não interrompa tão precocemente, 12 horas após a interrupção do tabagismo os níveis de monóxido de carbono e nicotina (substâncias tóxicas encontradas no cigarro) começam a reduzir, melhorando a circulação e a oxigenação.

Muitos pacientes “aproveitam” o período de internação – no qual não possuem acesso ao cigarro – para iniciar a interrupção. Contudo, é fundamental reforçar que esta atitude não é indicada, pois o paciente o fica mais sujeito a complicações durante e após a cirurgia.

Curiosidades sobre interrupção do tabagismo

Entretanto, os benefícios de eliminar o tabagismo da sua vida não param apenas na relação cigarro e anestesia. Confira alguns benefícios que você pode ganhar na sua vida com a suspensão deste hábito!

  • Um aumento de 6 – 8 anos na sua expectativa de vida;
  • Reduz o risco de diversas doenças, como do tipo cardiovasculares e cânceres;
  • Ajuda a economizar muito dinheiro na compra de maços e mais maços de cigarros.

É fumante, vai ser submetido a uma anestesia e tem outras dúvidas e gostaria de conversar com um médico anestesista? Entre em contato com a nossa equipe.