Como funciona quando um paciente com COVID-19 precisa de uma cirurgia?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Especialistas em saúde no mundo todo estão criando protocolos que envolvem cirurgia e coronavírus para minimizar os riscos de infecção.

Existem protocolos desenvolvidos em países que foram acometidos pela pandemia antes do Brasil e que estão sendo adotados para evitar a contaminação. Entre eles, citamos o artigo dos médicos Lian Kah Ti, de Singapura, e Federico Coccolini, da Itália, que assinam seus estudos junto a outros profissionais.

Os cuidados são essenciais para preservar aqueles que estão na linha de frente de combate ao novo coronavírus. O objetivo é evitar que sejam infectados, para que possam atender os pacientes durante a pandemia. Vamos ver quais as principais recomendações para cirurgias em pacientes com Covid-19.

Protocolos para cirurgia em pacientes com Covid-19

Em primeiro lugar, todos os casos conhecidos ou suspeitos de Covid-19 que necessitam de intervenção cirúrgica devem ser tratados como se tivessem a doença, para minimizar os riscos de infecção.

Toda a equipe deve estar especialmente treinada para lidar com o uso dos equipamentos de proteção individuais (EPIs), tanto para colocar, retirar e descartar máscaras, óculos de proteção, luvas, aventais, gorros, sapatilhas, etc.

O protocolo de ações deve estar bem claro e disponível aos profissionais que atendem pacientes de Covid-19. Como são muitas etapas, nem mesmo o mais experiente dos médicos e enfermeiros têm condições de saber 100% de cor os procedimentos necessários.

Os cuidados podem ser divididos em antes, durante e após a cirurgia.

Cirurgia e coronavírus: transporte dos pacientes

  • Os pacientes em trânsito para salas de operação não devem parar em outros ambientes que não sejam aqueles dedicados ao tratamento de Covid-19.
  • Deve haver salas cirúrgicas exclusivas para pacientes com coronavírus. As mesmas devem estar claramente sinalizadas na porta.
  • Se a cirurgia não exigir anestesia geral, o paciente deve usar máscara protetora durante todo o procedimento.
  • A passagem desses pacientes deve ser separada daqueles que não têm a doença.
  • De qualquer forma, é recomendado que todos os pacientes (mesmo os que não tenham Covid-19) utilizem máscaras protetoras para minimizar o risco de infecção.
  • Os pacientes devem se mover o mínimo possível pelo hospital e as transferências devem ser planejadas para ser as mais curtas e rápidas possíveis.

Cirurgia e coronavírus: preparo da sala de operação

  • Higienizar, preparar e proteger todos os equipamentos e frascos de medicação anestésica antes do paciente entrar na sala de operação.
  • Os monitores devem ser cobertos com filme plástico.
  • O material usado para anestesia, inclusive os carrinhos que transportam os equipamentos necessários, devem ser usados exclusivamente para tratar pacientes com Covid-19.
  • Quanto ao respirador do circuito anestésico, recomenda-se instalar um filtro adicional com aquecimento e umidificador. Esse filtro deve ser trocado cada sempre que for usado em outro paciente.
  • Qualquer instrumento ou insumo que seja utilizado na operação deve ter acesso controlado, com manuseio feito por enfermeiro capacitado e protegido, para evitar a circulação desnecessária no ambiente da cirurgia.

Cirurgia e coronavírus: durante a operação

  • A intubação deve ser feita com videolaringoscópio, desde que o profissional tenha proficiência no aparelho ou então no dispositivo que esteja mais acostumado, para evitar procedimentos mais difíceis ou a repetição excessiva da manipulação das vias aéreas.
  • O uso de equipamentos individuais deve ser observado à risca.
  • Os profissionais envolvidos devem manter distância segura entre si e o paciente.
  • Todas as portas da sala cirúrgica para pacientes de Covid-19 devem se manter fechadas e qualquer equipamento que não for usado na intervenção deve ser mantido fora da rota dos pacientes com coronavírus.
  • Recomenda-se o aumento nos ciclos de circulação de ar para reduzir a carga viral nas salas de operação.

Cirurgia e coronavírus: após o procedimento

  • Novamente, é preciso ter atenção ao transporte do paciente, com corredores livres e profissionais preparados com EPIs.
  • Os materiais descartáveis utilizados, bem como os resíduos dos procedimentos cirúrgicos, devem ser protegidos em embalagens duplamente protegidas e descartados imediatamente.
  • Deve ser trocada a proteção dos equipamentos, dos monitores e da mobília. A higienização de todo o ambiente deve ser refeita. Os profissionais que manipulam esses itens devem estar protegidos e proceder com a limpeza adequada das mãos.
  • Recomenda-se o uso de cloro na limpeza das superfícies, do chão e das mesas. Os EPIs serão higienizados com solução desinfectante Virex 256. Para os óculos de proteção, basta o álcool 70%.
  • Os equipamentos médicos e os computadores devem ser limpos com Mikrozid.

Por se tratar de uma infecção nova, os protocolos estão sendo atualizados com frequência pelos profissionais de saúde. Acompanhe o blog para mais novidades sobre o assunto. Em caso de dúvidas, entre em contato conosco.

Fontes:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7137852/
https://link.springer.com/article/10.1007/s12630-020-01617-4