Jejum para procedimentos com anestesia

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Jejum para procedimentos com anestesia

Perguntas frequentes:

Por que é importante o jejum para o procedimento?

O jejum é uma medida simples para evitar uma complicação potencialmente grave durante a anestesia: a regurgitação de material gástrico e consequente aspiração pulmonar. Em outras palavras: o retorno de alimento do estômago para a boca e para o pulmão. A aspiração pulmonar pode ser grave e levar à necessidade de cuidados de UTI e até ao óbito.

Devo tomar meus remédios durante o jejum?

Sim, a grande maioria das medicações de uso regular deve ser mantida, mesmo durante o jejum. As medicações devem ser tomadas com pequena quantidade de água nos horários habituais. Algumas medicações devem ter sua administração interrompida. Quais medicamentos devem ser interrompidos e o tempo de interrupção serão informados pelo seu médico assistente na consulta de agendamento para o procedimento ou pelo médico anestesiologista no dia da consulta pré-anestésica.

Quanto tempo devo ficar jejum para o procedimento?

Em regra, a preparação alimentar – tempo de jejum – deve levar em conta o horário em que foi solicitada a chegada ao local do procedimento. O tempo de jejum varia, dependendo do alimento que for consumido. O consumo dos alimentos permitidos após o início da preparação deve ser moderado, evitando-se exageros. A seguir, algumas recomendações.

A alimentação no período prévio ao início do jejum deve ser a do dia a dia, valendo o bom senso ao evitar exageros, bebidas alcoólicas e alimentos não cotidianos.

Exemplificando:

Solicitada a chegada ao local do procedimento às 7 horas.

# Refeição completa até as 23 horas do dia anterior ao procedimento,

# Uma pequena ceia com torradas (sem coberturas) e chá até a 1 hora do dia do procedimento

# Água de coco até as 5 horas do dia do procedimento.

# Após as 5 horas do dia do procedimento, apenas a quantidade de água necessária para ingestão dos remédios habituais autorizados.

Há alterações no tempo de jejum para alguns pacientes e para alguns procedimentos específicos – caso isto ocorra o tempo de jejum e os alimentos permitidos serão informados pelo médico anestesiologista no dia de consulta pré-anestésica.

Posso ficar mais tempo em jejum do que o recomendado?

O prolongamento do jejum não é incentivado, pois pode levar a alterações metabólicas, desidratação e desconforto no período perioperatório. Estas alterações são mais importantes quanto maior o tempo de jejum.

Sendo diabético, devo ficar em jejum?

Sim, o período de jejum é, em regra, o mesmo que para os demais pacientes. Caso seja necessário alteração na preparação alimentar – tempo de jejum – ela será feita pelo médico anestesiologista na consulta pré-anestésica. Há alteração nas medicações utilizadas para o tratamento do diabetes durante o período de jejum. Estas alterações serão planejadas e informadas pelo médico anestesiologista na consulta pré-anestésica e são individualizadas para cada paciente. Pacientes diabéticos não devem se submeter a períodos prolongados de jejum.

Versão Dez/2018

A Medicina está em constante evolução e as condutas mais aceitas podem ser alteradas. As informações desta página foram adaptadas de acordo com as seguintes referências bibliográficas:

1. Resolução cfm 2.174, de 14 de dezembro de 2017

2. Practice guidelines for preoperative fasting and the use of pharmacologic agents to reduce the risk of pulmonary aspiration: application to healthy patients undergoing elective procedures. anesthesiology 2017; 126:376-93

3. Perioperative fasting in adults and children: guidelines from the european society of anaesthesiology. european journal of anaesthesiology 2011, vol 28 no 8