(47) 3433-1666
(47) 99772 5095

Tudo o que você precisa saber sobre anestesia para endoscopia

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Como é a anestesia para endoscopia digestiva - Serviço de Anestesiologia de Joinville

Imagine inserir um tubo pela sua boca para fazer um exame no seu aparelho digestivo. Só de pensar já dá um enjoo, não é mesmo? Pois é para evitar isso que serve a anestesia para endoscopia. Entenda como ela funciona e por que é importante.

A endoscopia digestiva alta é um exame bastante comum, simples e rápido. Porém, sem anestesia, pode causar bastante desconforto na maioria das pessoas.

Funciona da seguinte forma: é inserido pela boca um tubo bem fino e flexível. Com uma câmera na ponta, passa pelo aparelho digestivo e registra imagens do esôfago, estômago e duodeno, já no início do intestino delgado.

É um exame importante para investigar casos de úlceras, gastrites, refluxo, infecções, câncer, entre outras desordens. Mas só precisa ser feita se o médico solicitar, não é algo de rotina.

Que tipo de anestesia é usada para endoscopia

Você provavelmente já ouviu falar que as pessoas dormem quando fazem endoscopia. E não lembram de várias coisas logo após acordarem, como conversas e até mesmo de sair da sala de exame e chegar na sala de recuperação. É bem isso que acontece.

O tipo de anestesia feita para endoscopia é a sedação profunda.

A sedação vai agir na consciência e no estado de sono e vigília. Ao ser aplicada na veia, a medicação age no organismo de forma a produzir duas reações:

  • Sono profundo: o paciente adormece “como uma pedra” e não acorda nem se for chamado ou estimulado.
  • Amnésia: depois do exame, o paciente não se lembra de absolutamente nada do que passou durante o efeito da sedação.

É por isso que as pessoas ficam meio grogues ao acordar. É o efeito da medicação que age na consciência.

Qual a medicação utilizada na sedação

A sedação para endoscopia usa basicamente dois tipos de anestésicos:

  • Opioides, que tiram a dor, como o fentanil
  • Hipnóticos que causam a inconsciência, como como propofol.

A dosagem da medicação é calculada de forma a durar o tempo do exame, para que o paciente acorde logo e possa ir para casa.

Os medicamentos usados atualmente propiciam um sono muito agradável e sem aquela sensação de ressaca, de quem dormiu demais. Também não deixa sonolento ao longo do dia.

De qualquer forma, é essencial um acompanhante para estar com o paciente ao ter alta do hospital ou da clínica onde a endoscopia for realizada. No dia do exame, não é recomendado dirigir nem operar máquinas. Portanto, o melhor é ir para casa descansar.

Por que é necessária anestesia para endoscopia

A náusea é a parte mais chata da endoscopia. É involuntário, muitos pacientes têm o reflexo de vomitar quando o tubo é introduzido pela garganta.

O uso de um spray anestésico na região já reduziria a sensação incômoda. Mas com a sedação, o paciente tem uma experiência mais agradável e menos traumática. Como ele fica adormecido, sem se mexer, o médico consegue fazer o exame com mais tranquilidade.

É por isso que se faz a sedação, para que o paciente durma e não perceba esse desconforto. Como não se trata de um exame muito dolorido, não é necessário o bloqueio dos impulsos sensoriais como uma anestesia regional, por exemplo.

Quem faz a anestesia para endoscopia

Teoricamente qualquer médico pode fazer uma sedação venosa, porém o médico que faz o exame não pode fazer a anestesia ao mesmo tempo, conforme orientação do Conselho Federal de Medicina (CFM).

O ideal é que a sedação seja feita pelo especialista nessa área, que é o medico anestesista.

O anestesista faz faculdade de medicina por seis anos, e após, uma residência médica, que o capacita para especificamente manter a vida do paciente enquanto estiver anestesiado ou sedado.

Por que a presença do anestesiologista no momento da sedação para o exame de endoscopia está se tornando tão comum?

Como dissemos, a endoscopia digestiva é feita por meio de um tubo inserido pela boca. O endoscopista fica segurando o tubo do aparelho endoscópico que está no trato digestivo do paciente, passando perto das vias aéreas, por exemplo. Se houver alguma intercorrência relacionada a sedação, e a ventilação do paciente, o endoscopista vai precisar de ajuda.

Quando o anestesista está junto, ele pode se ocupar da monitorização do paciente e da segurança, enquanto o endoscopista se concentra nas imagens do exame. Além disso, a qualidade da sedação é melhor quando feita por um especialista, que dedicou 9 anos de estudos e prática nessa área.

Esperamos ter esclarecido suas dúvidas a respeito da anestesia para endoscopia. Se quiser saber mais ou fazer uma consulta, agende seu horário conosco.

LEIA TAMBÉM:

ANESTESIA CAUSA QUEDA DE CABELO? DESCUBRA A VERDADE

POR QUE É ARRISCADO APLICAR ANESTESIA EM LOCAIS COM TATUAGEM