(47) 3433-1666
(47) 99772 5095

Qual anestesia é usada para abdominoplastia: descubra

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
anestesia para abdominoplastia

Para saber qual anestesia é usada para abdominoplastia, primeiro é preciso entender quais são as opções disponíveis e como funcionam em cada contexto.

Apesar da cirurgia plástica significar a realização de um sonho e o início de uma nova vida, muitas pacientes veem na anestesia o fator mais preocupante de todo o processo que envolve a cirurgia.

Isso acontece, com frequência, por falta de informação. Entender como os anestésicos funcionam e como são os procedimentos ajuda a reduzir o estresse e evitar riscos.

Durante a escolha da técnica anestésica, muitos fatores são levados em consideração. São questões ligadas ao paciente e ao tipo de cirurgia que será realizado.

A maioria das pessoas que fazem cirurgia plástica são saudáveis ou têm poucas doenças associadas. Quando estão presentes, são possíveis de ser controladas. Nesses casos, várias técnicas são adequadas e você tem opções.

A decisão técnica sobre a anestesia leva em conta a preferência do paciente, principalmente, mas também do anestesista e do cirurgião.

Critérios para escolha da anestesia para abdominoplastia

Na cirurgia de abdominoplastia, a escolha da técnica anestésica é baseada em uma série de fatores. São eles:

  • Biotipo,
  • Idade,
  • Comorbidades,
  • Preferência do cirurgião, caso não haja contraindicações para as técnicas possíveis.

O anestesista e o cirurgião conversam no momento imediatamente anterior à operação. Essa avaliação médica permite a escolha da técnica mais segura e acessível para o paciente.

Tipos de anestesia para abdominoplastia

A abdominoplastia é um procedimento mais demorado e doloroso que a colocação de prótese de silicone, por exemplo.

A retirada de excessos de pele e de gordura exigem incisões relativamente grandes. Sendo assim, a anestesia local com sedação é menos efetiva nesse tipo de cirurgia.

Sendo assim, existem basicamente duas opções de anestesia para abdominoplastia:

  1. Anestesia geral;
  2. Anestesia regional.

Entenda como funciona cada tipo de anestesia para abdominoplastia.

Anestesia geral para abdominoplastia

Nesta técnica, a medicação anestésica é aplicada totalmente na veia. A pessoa dorme o tempo todo em que durar o efeito da anestesia.

É necessária a intubação traqueal, ou seja, é inserido um tubo pela traqueia para preservar a respiração do paciente. São feitas medicações para controlar a dor, as náuseas e vômitos.

A principal vantagem dessa técnica é que ela é útil para cirurgias em qualquer parte do corpo. Com a anestesia geral, é possível realizar cirurgias combinadas, que não envolvem apenas a parte do abdome.

Além disso, é indicada para pacientes com desvios importantes de coluna, ou que não se sentem confortáveis em uma anestesia espinhal, por exemplo.

Anestesia regional para abdominoplastia

Geralmente, é feita a peridural com sedação. Diferentemente da geral, a medicação anestésica é aplicada na região da coluna vertebral do paciente. Mas é feita, também, uma sedação pela veia.

A desvantagem desse método é o leve desconforto que a picada nas costas provoca. Mas as grandes vantagens são:

  • Melhor controle da dor no pós-operatório,
  • Evita a necessidade de intubação traqueal.

A anestesia peridural age inibindo a transmissão dos impulsos sensitivos – como a dor – pelos nervos espinhais. Dessa forma, esses estímulos não chegam ao cérebro e o paciente, literalmente, não sente nada na região afetada.

O efeito anestésico fica restrito a uma faixa do corpo e depende:

  • da concentração e dosagem do anestésico utilizado,
  • da altura da punção e
  • do biotipo corporal.

Para a abdominoplastia, o efeito pode se estender desde a parte superior da mama até o púbis, chegando a atingir parte das pernas.

Tudo isso é decidido com base nas características do paciente, do anestésico a ser utilizado e do tempo da cirurgia.

Quais os riscos da anestesia para abdominoplastia

Qualquer procedimento cirúrgico e anestésico envolve riscos. Mas os riscos existem em todo lugar, inclusive ao atravessar uma rua, mesmo que se olhe para os dois lados. O que se faz é minimizar esses riscos ao máximo, com as medidas que estiverem ao alcance.

Hoje, você pode ter certeza de que o risco de morte por atropelamento é maior do que o da anestesia em uma cirurgia. Isso porque as técnicas atuais de monitorização permitem acompanhar de forma mais precisa os sinais vitais do paciente, permitindo uma resposta rápida da equipe médica.

Como se preparar para a anestesia de abdominoplastia

A principal recomendação é fazer uma avaliação pré-anestésica do paciente.

Serão questionadas informações sobre alergias, histórico familiar, tabagismo, uso de medicações, intercorrências em anestesias prévias, entre outras coisas relevantes para a cirurgia.

Além disso, existem recomendações específicas sobre uso de cosméticos e acessórios, pois eles interferem na monitorização utilizada na anestesia.

São fatores que prejudicam, principalmente, a leitura do oxímetro de pulso. Esse instrumento é utilizado para medir o oxigênio no sangue. Além disso, podem provocar queimaduras pelo eletrocautério.

  • Não esteja com cílios postiços;
  • Evite unhas com alongamentos longos;
  • Não use unhas com gel, fibra de vidro ou de qualquer material artificial;
  • Não use esmaltes escuros, como preto, azul ou vermelho.

Pós-operatório da abdominoplastia

O paciente deve seguir estritamente as recomendações do cirurgião! Isso é bem importante para a melhor recuperação.

As recomendações pós-anestesia não são muitas. Assim que estiver acordado e com regressão do bloqueio anestésico, o paciente já pode ingerir alimentos leves. Dependendo do porte cirúrgico, pode até ter alta no mesmo dia.

A recomendação específica após qualquer tipo de sedação é não dirigir nem operar máquinas nas 24 horas seguintes.

Esperamos que você tenha tirado suas dúvidas sobre a anestesia para abdominoplastia. Se quiser saber mais, entre em contato com a gente.

https://saj.med.br/quem-somos/anestesiologistas/