(47) 3433-1666
(47) 99772 5095

Anestesia para cirurgia oftalmológica: saiba como é o procedimento

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Anestesia para cirurgia oftalmológica

Anestesia é um assunto que causa muitas dúvidas nos pacientes. Principalmente quando envolve cirurgias complexas ou em áreas mais sensíveis do corpo, como os olhos. A anestesia para cirurgia oftalmológica, assim como qualquer outra, é um procedimento muito seguro e que oferece poucos riscos ao paciente.

Para que você se sinta mais seguro e confiante em sua cirurgia, neste conteúdo explicamos como é o procedimento da anestesia para cirurgia oftalmológica. Continue lendo o artigo, entenda melhor e acabe de uma vez por todas com as suas dúvidas.

Tipos de anestesia para cirurgia oftalmológica

O tipo de anestesia para cirurgia oftalmológica pode variar de acordo com o procedimento. A maioria das cirurgias na região dos olhos, no entanto, são feitas com anestesia local e bloqueios na região próxima ao olhos e em geral associado a sedação.

O uso da sedação tem o objetivo de controlar a ansiedade no paciente e diminuir a sua percepção sobre o que está acontecendo durante a cirurgia. Isso evitará que o paciente apresente algum pico de estresse durante o procedimento. 

Há casos, mas menos frequentes, em que a anestesia geral pode ser aplicada. Normalmente, isso acontece com crianças e quando o paciente apresenta condições clínicas que contra indicam os bloqueios, alguns desses casos são:

  • distúrbios de coagulação;
  • quadros demenciais;
  • distúrbios de consciência;
  • baixos níveis de colaboração;
  • recusa do paciente.

A anestesia geral também pode ser aplicada em pacientes que serão submetidos a procedimentos mais longos ou de maior porte, como aqueles diagnosticados com tumores intraoculares.

Utilizando a anestesia geral, os especialistas esperam atingir quatro objetivos principais, que são:

  • controlar a dor totalmente;
  • causar amnésia para que o paciente não lembre do procedimento;
  • deixar o paciente inconsciente para que não consiga ver o que está acontecendo
  • e imobilidade para garantir que o paciente não vai se mexer durante a cirurgia.

Para que esses objetivos sejam atingidos, alguns medicamentos são utilizados. 

Como funciona cada procedimento anestésico?

Anestesia tópica (via oral)

Esse tipo de anestesia é usada em procedimentos ambulatoriais, exames, algumas retiradas de corpo estranho, cirurgias de catarata. Nesses casos, a sedação é importante para manter o paciente calmo e complementar o procedimento que vai inibir a sua sensibilidade.

Anestesia geral (local)

Mais comum em crianças, pacientes com distúrbios neurocomportamentais e cirurgias mais longas. Costuma ser associada com bloqueio e ajuda na composição dos medicamentos que serão usados no pós-operatório. 

Bloqueios

Estão entre os tipos de anestesia mais utilizados em cirurgias oftalmológicas. Em geral, são usados em conjunto com alguma sedação para controlar o estresse operatório e a ansiedade no paciente. 

A cirurgia ocular costuma causar tensão emocional nos pacientes e isso pode ser prejudicial para aqueles que sofrem de doenças cardíacas ou hipertensão arterial. Sendo assim, a sedação também ajuda a controlar reações que podem ser causadas por essas doenças.

Sedação

É um procedimento muito utilizado em procedimentos cirúrgicos, mas existem alguns tipos que devem ser escolhidos de acordo com o tipo de procedimento: leve, moderada ou profunda.  

  • Na sedação leve, o paciente continua consciente e responde quando é questionado, mas se mantém tranquilo e relaxado, sendo esse o mais utilizado para procedimentos oftalmológicos.
  • Na sedação moderada, o paciente dorme e responde a estímulos dolorosos com facilidade, Na sedação profunda, o paciente dorme profundamente se houver controle de suas vias aéreas por meio de máscaras.

Embora seja um complemento para a anestesia local, a sedação não bloqueia totalmente os estímulos como a anestesia geral. 

Qual é o papel do médico anestesista durante o procedimento cirúrgico?

O sucesso da cirurgia e da sedação dependem, principalmente, do apoio do anestesiologista, que vai manter a vigilância e vai monitorar o paciente cuidadosamente, zelando pelo seu conforto e segurança.  

Além disso, o médico anestesiologista deve conhecer as condições clínicas do paciente. Por isso, a consulta pré-anestésica com esse profissional é fundamental. Durante essa conversa, o especialista vai fazer uma análise clínica e, a partir dessas informações, vai indicar o planejamento anestésico ideal para cada cenário.

A consulta com o anestesiologista é importante para orientar o paciente e ajuda a diminuir o seu nível de ansiedade. O especialista vai orientar o paciente sobre o uso ou suspensão de medicamentos controlados que podem interferir na cirurgia. 

Quer saber mais sobre anestesia para cirurgia oftalmológica? Agende uma consulta com os especialistas do SAJ.